[ Boletim ]

Digite sua Senha:

Nome: Mariana Dias Torres - Ínicio no Bushido Ryu: 13/03/2013 - Idade: 24



Quem Sou Eu ?
As vezes acho difícil descrever a mim mesma, porque as vezes nos vemos de uma forma, mas aos olhos das pessoas transparecemos outra coisa. Mas eu me acho uma pessoa afável, que respeita as pessoas, que ama com muita facilidade, que se entrega de corpo e alma a tudo o que faz, e ateé exagera nisso as vezes, apaixonada pela alegria e felicidade, que gosta de sorir e levar alegria aonde vou, tento ser a melhor pessoa possível, me dedicar a tudo o que faço com afinco, sempre com espectativa de que tudo vai dar certo e acreditando sempre que tendo fé em Deus e em mim posso conseguir o que eu quiser. Por outro lado, também posso ser muito chata, posso sofrer com uma derrota mais do que o normal, não sei lidar bem com a perda ou com o fato de ser contrariada em uma determinada opinião ou forma de enchergar as coisas. Mas tento vencer meus limites sempre, sou movida pelos desafios e sempre nasce em mim um sentimento de guerreira e de persistência ante a um desafio, não desisto fácil, só abro mão de alguma coisa quando realmente já tentei de tudo e não deu certo, porque nem sempre conseguimos tudo na vida e algumas decisões estão além de nosso alcance, ou dependem de outras pessoas, e aí não podemos fazer nada. Mas gosto da pessoa que eu sou, tenho bons amigos e acredito que eles enchergam estas qualidades em mim, então acredito sim que eu seja uma pessoa descete, de carater e que tem boa conduta moral.
O Bushido Ryu para mim!
É difícil definir o que representa o bushido para mim... no começo, como a maioria, era um forma de me manter em uma atividade física, condicionar o corpo, ter mais saúde etc. Contudo, no decorrer desses 11 meses em que sou aluna (comecei em 02/2013), fui percebendo que o Bushido Ryu era um oceano bem mais profundo e amplo do que eu imaginava. Comecei a entender que não se trata apenas de uma atividade física, de movimentos, golpes e defesas, mas sim de um modo de vida que deve ser assumido por inteiro, que abrange todos os aspectos de nós seres humanos na tríade completa. Frequentando as aulas eu, a cada nodo treino, a cada novo estudo ou momento de conversa com o Shidoshi, pude aos poucos sentir o que o verdadeiro espírito marcial representa, que ele molda nossa forma de ser e agir, que no nosso Dojo não aprendemos uma luta, mas sim um caminho, uma forma de levar a vida, como sermos melhores, mais alto confiantes, mais persistentes em nossos objetivos. Sinto que esta arte tem afetado positivamente a minha forma de ver a vida, de acreditar em mim mesma, de que eu posso ir além de tudo o que penso, que o que faz diferença é a forma como vejo a mim mesma, e não o que dizem a meu respeito. Quer um exemplo? Recentemente prestei o meu exame de direção, em casa todos desacreditaram que eu conseguiria sem pagar o “quebra”, diziam que tem muita corrupção, que um toque do avaliador na embreagem em um momento decisivo e pronto seria penalizada e perderia minha chance e teria que pagar tudo de novo, mas eu disse que ia conseguir, fui pelo justo, pelo que é honesto e correto, fui confiante, acreditando no melhor resultado, eu sabia tudo, tinha me dedicado nas aulas, perguntei tudo o que podia para meu professor durante as aulas e prestei atenção em todas as dicas dadas, fui repassando mentalmente os passos, orei a Deus (isso é muito importante para mim) e fui acreditando no melhor, e como o Shidoshi disse, me visualizei passando e ligando feliz pra todos da minha família e amigos contando a novidade. Resultado? Passei. Então, no fim, essa arte me ajuda a acreditar em mim mesma e me superar a cada dia, e cada vez mais isso tem ocorrido. Outro dia tivemos que ficar 1min pendurados na escada, aos 20seg eu já estava fraquejando, mas mantive o foco, pensei que era, como o Shidoshi diz, uma pequena montanha a ser vencida, e que depois dessas ainda viriam muitas outras, então como “desistir é para sempre”, me mantive firme e consegui ficar durante 1min inteiro sem soltar, e fui a única. Eessas pequenas conquistas me motivas e me fazem crer que, aos poucos, entendo o que é este caminho marcial, o que é ser um bushi e um verdadeiro praticante de Bushido Ryu. Amo cada vez mais esta arte e meu professor, a quem admiro e respeito muito. É isso - by Mariana Torres

Meu Diario no Bushido Ryu
5/2/2014 19:26:44
Puxa vida, hoje me dei conta de que, desde o ano passado não abro a minha página do aluno.... Infelizmente provavelmente perdi a chance de registrar algumas coisas com o calor e inspiração do momento em que aconteceram... mas tentarei recapitular estes momentos, começando pelos mais importantes, o dia do exame e o dia da cerimônia de entrega das faixas: 07/12 – Dia do exame: um dos dias pelo qual mais aguardei no ano passado, fiquei, praticamente, desde o mês de abril ou maio, que foi quando decidi que queria uma faixa pensando só nisso... estudei, ralei, treinei igual a uma louca o máximo que pude, e achei que tive um bom resultado, no dia me senti uma campeã, mesmo sem ter o resultado, mesmo sem saber das notas, exceto da teórica que é dada na hora... eu sabia que tinha ido bem e estava muito feliz. Ai só tive que segurar a ansiedade de ter que esperar 01 semana para a cerimônia de entrega da faixas. Bom, não poderia deixar de citar o infortúnio da torção do meu pé durante o combate com o meu amigo Márcio, não foi culpa de ninguém, caímos de mal jeito e pronto, torci o pé.... Realmente lamentável, mas me fez pensar muito (depois falo disso). 13/12 – Dia da cerimônia: Foi muito emocionante, muito bonito, gostei de ouvir os instrutores falando, sobre tudo minhas amadas Elizabeth, Bethania e Marlene. Claro que, como sempre, também foi muito bom ouvir o Shidoshi falar, sempre palavras sabias e profundas, gosto mesmo (sem demagogias nem “puxassaquismo”). Foi mesmo muito lindo, prestei muita atenção e meditei em tudo o que foi falado, e serviu pra mim, gostei muito. Foi realmente uma emoção muito forte, fiquei pensando em como gosto de fazer parte de tudo isso, em como, mesmo sem saber ainda do resultado, eu estava feliz e me sentia uma vitoriosa pelo meu desempenho no exame, tinha me superado, consegui fazer coisas que nos treinos eu não fazia (claro que a adrenalina ajuda a dar um “gás” a mais neh... rsrs) enfim, estava muito feliz. Depois de todo o cerimonial, quando a Marlene trouxe a caixa, que óbvio estavam com as faixas dentro, meu coração gelou, ai vc repensa tudo, e agora? Será que fui bem mesmo? E se tirar uma amarela? E se NÃO TIRAR NADA? Da um surto na cabeça, mas respirei fundo e tentei me manter confiante, independente do resultado, havia aprendido muito naquele ano, feito amigos, tido a oportunidade de conhecer o Shidoshi e aprender uma pequena parcela de tudo que ele tem a ensinar e isso já era um prêmio maravilhoso, claro não ia bastar, mas eu ia me acostumar... Contudo, o resultado não foi menos do que eu esperava de verdade. O Shidoshi começou falando sobre mim, o que havia de bom e ruim, o que ele admirava, que viu que eu tinha talento desde o começo, mas disse também sobre o que já falamos muito, sobre a necessidade de provar algo para as pessoas, de querer sempre mostrar meu valor... E disse que tenho que fazer as coisas por mim, superar a mim mesma e não a ngm “Masakatsu Agatsu”. Foi bom ouvir isso, e estou tentando viver assim, me sinto mais leve provando apenas pra mim mesma do que pra todo mundo, enfim, voltando... Disse também sobre a decepção de eu não aceitar o convite para instrutora. Não me arrependo da decisão porque sei que não ia conseguir cumprir tão fielmente sem nunca faltar, sobre tudo porque as aulas são de domingo, e domingo já sabe, é o dia especial da semana que separo inteiramente para Deus e para a igreja, são raras as vezes que posso abrir mão, ou ainda, que quero abrir mão, mas de qualquer forma eu gostaria muito de ser instrutora, acho que tenho talento pra isso, pra ensinar, mas as coisas acontecem no tempo certo e, definitivamente, aquele não seria o momento. Mas após falar tudo isso, ele colocou a mão no baú e disse que eu receberia o que eu queria, e tirou a abençoada faixa vermelha com que sonhei. O Sorriso se abriu em meus lábios, fique extasiada de tanta felicidade peguei a faixa, amarrei em minha cintura e me senti uma campeã. Foi uma das melhores emoções da minha vida, olhei para minha mãe e para o meu pai, que óbvio sorriam pra mim e viam a minha alegria em receber o que tanto desejei, fiquei emocionada em vê-los no mesmo lugar em uma situação assim, nem sei a quantos anos não apreciavam em um mesmo lugar uma coisa a meu respeito, me senti feliz e alegre naquele momento, voltei a ser criança e a sonhar com uma família feliz, mas isso é outro assunto... O que importava é que aquele momento era meu, e só meu, eu tinha lutado e conseguido o que queria, aquele dia era meu. Depois aconteceram outras coisas legais, como ver o Marcio e o Gui, que prestaram para a amarela receber a merecida vermelha, fiquei feliz por eles e senti a emoção do momento. Foi bom ver muitos dos meus colegas se superando, conquistando também as suas faixas e felizes com isso, foi muito bom mesmo. Depois veio a entrega dos certificados, fiquei feliz da Beth entregar o meu, “minha dinda” e uma grande amiga que fiz, gosto muito dela e temos cada vez mais sido amigas, estou feliz com isso, o mesmo ocorre com a Marlene e com a Bethania... é bom encontrar pessoas que te entendem e compartilham de algo com você. Enfim, foi tudo lindo e uma alegria só... claro que deveria ter escrito na época e não hoje (dia 05/02/2014), mas fiquei feliz em relembrar desses momentos e isso também é bom, me deixou feliz. É isso por hoje, depois escrevo mais. Obrigada meu Deus por tudo que tens me dado, abençoe o dojo, meu professor o Shidoshi Marcelo, meus colegas de treino, em especial aquelas que compartilham mais coisas comigo, Elizabeth, Bethania e Marlene! Que o dojo possa crescer como sonha o Shidoshi, e que venha a fazer bem a muitas outras pessoas como tem feito para mim, abençoe aquele lugar e todos que lá adentrarem em todos os dias de sua existência, amém!

5/2/2014 19:28:50
Ah! sim, também fiquei emocionada agora em ver meu nome entre os faixas vermelhas.... rsrs parece bobo, mas antes estava entre os brancas, agora estou um degrau a frente, e o melhor, fiquei muito honrada em ter tido o melhor resultado no exame entre todos os que prestaram comigo, não é vaidade, mas me motiva e ser melhor sempre... fiquei muito feliz com isso, e, modestia a parte, merecei porque me dediquei muito, e do contrário o Shidoshi não teria me dado a faixa.

24/2/2014 16:36:55
Como escolher é difícil, definir prioridades. Não sei se sou só eu, mas tenho sentido dificuldades nisso a bastante tempo. Contudo aos poucos aprendo e percebo que, nem sempre, o que você acha que é prioridade, de fato o é, como o Shidoshi disse, as vezes prioridade é uma questão de valor, o problema é... À que tenho dado mais valor? Talvez esteja voltando as minha raízes, pra o que, para mim, tem o verdadeiro sentido da vida. Não sei o que pensar, mas estou deixando Deus me guiar e sei que me direcionará para o melhor. Confio em Deus. Mas tudo tem seu lugar no meu tempo e no meu coração. A Honra da minha faixa vermelha deve ser mantida, lutarei para ser merecedora dela.

25/4/2014 00:44:31
Eh dificil as vezes entender a mim mesma, o que eu quero... porque mudo de ideia, porque volto as ideias antigas ou assumo novas, mudo de filosofia, mudo de objetivo... conseguir constancia, para mim, as vezes parece um mega desafio... mudo demais, todo o tempo, sempre me reavaliando, me redescobrindo e, no momento.... estou tentando entender o que mudou em mim com relacao ao Bushido Ryu, e nao necessariamente algumas faltas no treino por trabalho excessivo sao sinal de desistencia... estou apenas me redescobrindo pela enesima vez e tentando me organizar. Eu me amo muito, e preciso me centrar a ponto de nao fazer mais nada pelos outros, esperando uma opiniao positiva, ou aceitacao... quero aprender a viver ara mim, mas parece um desafio, e eh um mesmo, mas sei q vou conseguir.

26/9/2014 08:24:56
Olá... eu havia esquecido desse diário... bom, nāo esquecido, mas arrumava outras coisas para fazer do que escrever aqui... mas agora resolvi retomar por dois motivos: primeiro nao sei se farei o exame e esse diário conta pontos, segundo q acho q escrevendo o que se pensa as vezes conseguimos resgatar pensamentos e emoçōes, tanto no momento, ao lembrar e pensar sobre o que se está vivendo, como futuramente como uma recordaçāo dos momentos que já passaram. No momento vivo a indecisāo, pois nāo sei se estou pronta para o exame, muitas outras coisas tomaram meu tempo e minha mente esse ano, entāo nāo estudei, nāo me dediquei e nāo acho q mereça passar, e nāo acho tbm q esteja em condiçōes em conhecimento e técnica de passar. Mas, talvez, ainda haja tempo.... vou pensar sobre isso....

6/12/2014 15:56:38
Eh isso, chegou novamente o grande dia.... amanha o desafio sera grand, sinceramente acho q fui menos dedicada neste ano, mas acredito q ainda sim tenho condicoes de passar, consegui revisar a maior parte da materia, hoje me reuni com o Anderson, o Gui q. Bia pra revermos materia e pegamos algumas dicas com o Anderson, ele eh muito bom e tem boa tecnica, foram momentos preciosos e bem aproveitados. Deus abencoe q eu consiga papssar, acho q tenho condicoes pra isso, mas se nao passar sera fruto do baixo empenho deste ano. Soh sei q fazer o exame esta quase sendo uma prova de vestibular.... a emocao eh a mesma hahahaha. Vamos la! Como disse o Shidoshi, ha mais pessoas q desistem do q as que fracassam, entao eh melhor estar entre os que fracassaram, mas ao menos tentaram, do que entre os que nem se quer tentaram. Seja o que Deus quiser... Oss!

20/1/2015 06:55:33
Depois de algum tempo, lembrei desse diário, não é de propósito, mas esqueço dele RS. Enfim, agora Resol o escrever as 6h12 da manhã devido a um surto de insonia po . Causa desse calor q tem feito esses dias... Mas indo ao que interessa, vou tentar recapitular algumas coisas, como por exemplo q vitória obtida no meu exame de faixa. Devo admitir q esse ano de 2014 foi diferente de 2013. Eu treinei com menos afinco, estava mais cheia de compromissos, tentando fazer as coisas darem certo no meu emprego, na minha igreja com o grupo de jovens com o qual pela primeira vez me vi na posição de líder, um desafio e tanto, alem de também enfim resolver com o Abraão se casavamos ou compravamos uma bicicleta rsrs brincadeira... Hehe, sempre soub . Q casariam os, mas neste ano nós noivamos e compramos enfim nosso terreno, e isso foi muito bom. Tbm fizemos o 360 qse acústico, q foi muito bom e teve boa repercução, e inclusive meu Shidoshi querido, a Marlene, Beth, Bethania, Lucas, Gui, Pato, Josinaldo, Maria Luiza e a mãe do Shidoshi eativeram presentes, alem dos meus pais e da familia do Abraao inteira, o que me deixou muitooo feliz! Esse foi o lado bom de 2014 que mais marcou. Mas tbm foi um ano duro, tive q lidar com a rejeição e frustração e falta de habilidade com o grupo de jovens... Aparentemente eles não querem nada com nada, por mais q nos esforçemos eles não ligam pra nada nem ngm, só pra eles mesmos, e cada vez mais se esquerda em de Deus, mas me dei uma nova oportunidade em 2015 de tentar e aceitamos novamente a liderança e faremos o possível pra motiva-los mais esse ano. Parece q o assunto não tem nada a ver com Bushido Ryu, mas bushido Ryu esta em tudo na nossa vida certo? Continuando... Me dediquei feito louca ao trabalho... Nunca fiz tanta hora extra e, no fim, levei uma advertência por uns erros cometidos, o que meio q acabou comigo e me fez sentir q toda a dedicação de um ano todo não adiantou de nada, pois no final o empregador quer o resultado, se ele não e atingido, doa a quem doer, alguem terá q pagar o pato. Realmente duas experiencias q uso para aprendizado, mas prefiro esquecer foi essa, que realmente me deixou mal, e e outra foi de um negocio q fechamos com um amigo, alguem em quem confiqvamos plenamente, de todo o coração, mas q foi desfeito de uma maneira muito triste q, inevitavelmente, me fez pensar q as pessoas não são confiáveis como eu imaginei, q são falhas e não podemos esperar muito delas, para não nos frustrarmos. Foram lições duras, mas q ainda sim não me fazem desacreditar totalmente do ser humano... Pois mesmo com isso, existem coisas boas, e ngm está isento de cometer erros. Mas tentando voltar para o dojo... Foram tantos acontecimentos q deixei minha agua esfriar... Passei por muitos conflitos, quase desisti do Bushido Ryu por, supostamente, estar sendo cobrada demais (que besteira!) mas acho q consegui me reencontrar a tempo para lutar pelo meu lugar ao sol RS fiz o exame, muito diferente do ano passado q tinha certeza do resultado, fiz achando q não passaria... Mas fui surpreendida com um bom resultado. Mas sabe oq eh contraditório? Fui pensando q nem pegaria nada, mas, tenho vergonha de dizer, quando vi meus colegas todos subindo um degrau a mais do que pretendiam, tive lidar com o sentimento de frustração por saber q teria condições de ter ido mais longe se a agua tivesse permanecido quente, e fiquei pensando se esse sentimento não seria inveja, algo q nunca na minha vida eu senti, mas refleti q não, pois fiquei feliz pela conquista dos meus colegas, q fizeram por merecer, e acho q inveja quer dizer querer oq eh do outro, e não era isso q sentia... Senti um pouco de frustração, como disse, em saber q tenho potencial para mais, mas q tive q me contentar com, de certa forma, um premio de consolação, jah q eu achava q nem mesmo a laranja eu merecia pelo ano q tive de pouca dedicação. Mas acho q com tudo noa aprendemos, decidi superar meus conflitos internos, encontrar dentro de mim a determinação necessária pra vencer de novo, pra me superar de novo, jah que "massagatsu agatsu" (a vitoria aqui e agora sobre si mesmo) me marcou tanto em 2013, prosseguirei vencendo a mim mesma, jah q eu sou, ao mesmo tempo, minha melhor amiga e pior inimiga, a batalha eh sempre contra nós mesmos. Quero que 2015 seja diferente... Estou colocando lenha de novo no fogo pra esquentar minha água e vou lutar pra subir meu próximo degrau, vencer minha próxima montanha. E estou com fé de que conseguirei, e vou me empenhar pra isso. Obrigada a Deus, pelo amor incondicional e por me entender quando nem mesmo eu me entendo, obrigada Shidoshi pelo carinho e cuidado especial com cada aluno, um dia quero representar para alguem o tipo de referencia que representa pra mim, e a todos os meus amigos, Marlene, Beth e Bethania especialmente, q são as pessoas mais próximas a mim no dojo, q tem compartilhado um pouco mais de amor, carinho a conversas amigas q os demais. Por enquanto eh só, mas tenho muito mais pra falar.... RS. Até mais diàrio.! : )